Jardim Mágico: Ervas - Conhecimento.

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Olá, tudo bem?
Primeiramente, sejam bem vindos ao nosso Jardim Mágico, esta coluna que será o cantinho reservado para conversar, aprender e compartilhar nosso saber a respeitos das diversas ervas que usamos tanto para magia quanto para auxílio nos tratamentos medicinais.Todavia, para ambos os fins é necessário conhecer e entender quais são as propriedades, manuseios e todos os efeitos, sejam esses benéficos ou maléficos.


Os relatos de usos de ervas para tratamentos antecedem o cristianismo, com marcos de 3.000 anos a.C, no império Chinês, ou, até mesmo, com os egípcios, há 1.500 anos a.C, que não só as usavam para fins medicinais, como, também, na alimentação e nas técnicas de embalsamento.
Temos uma biodiversidade incrível no nosso país, plantas que só são encontradas aqui, porém, apesar do avanço nos estudos científicos para certificar as propriedades de cura de algumas ervas, somos novos nesse quesito. Entretanto, vale lembrar que nossa base cultural indígena é muito ampla, conhecimento profundo que vale muito aprender.
Importante ressaltar aqui que a premissa " Tudo que é natural não faz mal" não é verdadeira, pois se uma erva for ingerida sem ter ciência das suas propriedades, ou misturadas com tratamento médico - medicação química -, os ativos podem causar reações não esperadas, provocando danos no seu organismo.
Há diferença entre o tratamento fitoterápico e o tratamento com ervas medicinais, essas últimas são as plantas que possuem em seus compostos ativos substâncias que podem ajudar, prevenir ou até mesmo combater certas doenças, porém, muitas vezes não possuem comprovação científica sobre seus benefícios. Enquanto os tratamentos fitoterápicos - produzidos das ervas - já foram testados e certificados, comprovando sua eficácia.

fonte: site Dr. Ervas - clique na imagem para ampliar



Fontes: Oficina das bruxas / Mulher Verde / A Magia das Ervas - clique na imagem para ampliar


Essas listagens acima são as principais propriedades que aprenderemos com o tempo e através de estudos e pesquisas. Porém, lembre-se: a automedicação não é aconselhável, afinal, estamos falando da sua saúde.
Devemos saber manipular as ervas, conhecer a maneira corretar de usá-las, canalizar a energia para o determinado benefício, ter a noção de que não são todas que podemos ingerir ou ter contato com a pele e/ou mucosa, ou seja, serão uteis como talismãs e amuletos. Há algumas que só podem ser usadas como banhos; outras, como banhos e chás. Portanto, antes de mais nada, busque a certeza de que não prejudicará ninguém e nem a si mesmo ao manipular ervas, plantas e afins.

Manipulação das ervas:

Catapasma: Utilizar a planta como pomada, ou seja, superficialmente.

Decocção: Usada a partir de fervura para dissolução da substância - ação prolongada de água ou calor.

Inalação: Através da combinação de vapor de água com substâncias voláteis de ervas aromáticas - óleos, essências e a própria erva.

Infusão: Trata-se do modo original de se preparar os chás e banhos.

Maceração: Colocá-las em contato com álcool, óleo, água ou outro líquido para dissolver os princípios ativos.

Vinhos medicinais: A erva é preparada para dissolver as suas substâncias vegetais em puro vinho.

Sumos ou sucos: A erva é espremida em um pano ou triturada em um liquidificador ou pilão, podendo adicionar água ou não.

Porções: A erva é misturada em soluções como xaropes, tinturas, extratos ou outros ingredientes.

Torrefação: Usa-se o fogo para retirar a água e modicar algumas propriedades da erva.

Unguentos, pomadas e bálsamos: Sãos feitos a partir da mistura do chá, tintura, essências ou suco da erva medicinal com vaselina, lanolina, gordura vegetal ou cera de abelha.

Xarope: A erva é dissolvida em açúcar e água aquecidos a fim de obter o ponto de fio.

Rituais: queimando as ervas - em segurança - no caldeirão, usando encantamentos ou não.

Banhos: a infusão da erva na proporção miníma de 1 litro de água.

Consagração: Em defumação, bálsamo, óleo das ervas para consagrar objetos sagrados.

Poções: Com proporções, misturas e orientações exatas de ervas e derivados. Uso ou não de encantamentos.

Defumação: Para purificação, limpeza, banimento de um determinado lugar e/ou pessoas. Incensos.

Tendo essa pequena noção, essa base de conhecimento, não deixem de alavancar seus estudos com mais leituras e pesquisas. Aqui, no blog, dividiremos nosso saber com vocês, aprenderemos juntos, pois, se houver alguma propriedade que ainda não conhecemos, ficaremos felizes em aprender. Então, comentem!
Para facilitar, colocaremos o marcador "Jardim Mágico" para a localização de todas as publicações sobre o assunto.


Fontes de Pesquisas:
Herbologia Mística
Mulher Verde
Dr. Ervas
Oficina das Bruxas
Despertar de Gaia
Witch Clubhouse

Caso tenha alguma dúvida ou precise de conselhos particulares, fale conosco:
dragoesdaluanegra@gmail.com

Abençoados sejam!








*Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do Código Penal. A reprodução parcial ou total deste texto está terminantemente proibida e é protegida por lei*.

0 comentários:

Postar um comentário