Apresentação - Bruxos, quem são?

sábado, 28 de janeiro de 2017


Quando a palavra “bruxaria” surge em uma conversa, a primeira imagem que a maioria das pessoas tem é de uma velha feiosia, de roupa preta e comprida, usando um chapéu pontudo na cabeça, voando em uma vassoura e pronta para fazer maldades. O segundo estereótipo é um (a) roqueiro (a) adorador de Satanás... Ou de uma pessoa gótica, fechada, introvertida, rabugenta e de mal com a vida. Essas idiossincrasias estão corretas? O que é verdade e o que é mito quando estereotipamos bruxos e bruxas?
Esta é a primeira postagem do blog, um texto que visa explicar a realidade de quem é praticante ou adepto da arte da bruxaria. Talvez seja um pouco polêmico, no entanto, trata-se apenas de apresentar a verdade dos fatos. Sendo assim, vamos a eles...


Quem está iniciando agora na bruxaria já deve ter pesquisado e encontrado, em milhares de blogs e sites, bruxos experientes explicando que nada do que apresentam os filmes faz parte do cotidiano “bruxesco”. Não voamos por aí, não pronunciamos um “bibidi bóbidi bum” para fazer as coisas surgirem diante de nós e nem todo blá-blá-blá que as películas cinematográficas apresentam. Então, não vamos nos prender no que já foi milhares de vezes explanado - e, muitas vezes, de uma ótima maneira - por outros irmãos e irmãs da arte. Nosso intuito é pegar item por item de cada estereótipo montado pelos leigos e explicar o que é verdade e o que é mito, bem como o que foi modificado da sua essência original.

O primeiro exemplo citado foi a da velha bruxa de roupa negra, chapéu pontudo, voando na vassoura e disposta a praticar o mal. Certo... O que tem de errado nisso? Quase tudo. O que é simbolismo e o que corresponde ao que os bruxos praticam? Algumas coisas. Vamos analisar de um por um.
• A mulher idosa - Todos os bruxos são velhos? Claro que não! Na verdade, em nosso grupo, jovens são aceitos a partir dos treze anos, é quando começam a estudar. Obviamente, com a autorização dos pais. Geralmente, os próprios genitores também são bruxos. Bem, algumas vezes, o adolescente assistiu Harry Potter, encantou-se com os personagens e deseja ser como eles. Das duas, uma: ou ele vai se decepcionar ao compreender que nada na bruxaria é como nos filmes; ou vai se encantar quando conhecer a verdadeira arte e seguirá nesse caminho, tornando-se uma pessoa equilibrada e sábia. Ok, voltando ao assunto... Nem todos os bruxos são idosos, porém, a imagem “anciã” tem muito a ver com a bruxaria, representando uma das faces da Deusa Mãe, o auge da maturidade e da sabedoria, uma das faces que simbolizamos e reverenciamos em um dos Esbbaths (em breve, mais explicações sobre o assunto). Então, de certa forma, a mulher idosa tem muito a ver com a bruxaria.
• A roupa preta - Em uma das páginas deste blog há uma breve explicação sobre o assunto. Todavia, vamos repetir o que lá está e nos estender um pouquinho nesta parte agora. Bruxos celebram os Esbbaths - celebrações das fases lunares - e os Sabbaths - celebrações de acordo com o posicionamento do Sol. - Cada celebração tem uma cor específica para o ritual. Na Lua Nova, por exemplo, a cor que mais usamos é o branco. Na Lua Minguante, usamos o vinho ou o negro. A cor preta representa a noite, a escuridão da madrugada, ou seja, é um dos simbolismos da Deusa Mãe. Então, é normal que os bruxos estejam trajados de preto durante alguns rituais. O fato é que muitos de nós são adeptos da cromoterapia, atraindo as energias positivas de diversas cores. Sendo assim, o fato de usar roupa preta ou não é uma questão de gosto pessoal. É bem mais fácil nos depararmos com bruxos usando amarelo - para atrair prosperidade, vitalidade, alegria -, ou qualquer outra cor "viva", do que trajado em tons escuros e sombrios. Ainda assim, a roupa preta tem mesmo um simbolismo especial à bruxaria.
• O chapéu pontudo - Bem, esse assunto é um pouco mais complexo, porém, tentaremos explicar... Imagine um ponto luminoso e poderoso no céu. Você olha para ele, ciente de que é uma divindade, e pede para que proteja você e tudo ao seu redor. Esse ponto (divindade) passa a emanar uma luz que desce em sua direção, abrindo-se para encaixar-se no diâmetro do que está a sua volta - afinal, esse foi seu pedido. - Quando desce por completo, forma um círculo no chão, sua zona de conforto, pois você sabe que, enquanto estiver dentro daquele círculo, será protegido de todo mal. Olhando de fora, essa luz, desde sua partida do ponto no céu até o círculo que atingiu o chão, forma um cone, ou seja, o chapéu pontudo da bruxa estereotipada na visão popular. Obviamente, isso tudo é uma metáfora, tal luz não pode ser vista, mas pode ser sentida. É o Cone do Poder, e, em breve, daremos mais explicações sobre o assunto. Concluindo: o chapéu pontudo da bruxa é uma representação da energia poderosa que nos envolve e nos protege quando um Círculo Mágico é traçado. Portanto, confere com um dos simbolismos da bruxaria.
• Voar na vassoura - Na bruxaria, a vassoura é usada em alguns rituais de purificação e como símbolo de fertilidade. Como assim? Fertilidade não envolve apenas “aumento da família” ou “útero fértil”, tem a ver também com frutos, rendimentos. Uma das frases que muito usamos é: “Energia boa é energia em movimento”. Já reparou como um local sujo e empoeirado gera um clima pesado? Isso é energia negativa, parada, concentrada, pesando no recinto e em nós mesmos. Nos causa depressão, tristeza, preguiça... Para acabar com isso, é preciso realizar uma boa limpeza - estamos falando de faxina mesmo, esfrega-esfrega - e uma organização, colocar cada coisa em seu devido lugar e descartar o que não usamos mais. Feito isso, a energia se renova, tudo muda, nosso ânimo, nosso humor, começamos a ver a vida prosperando, crescendo... E o fato de “voar na vassoura”? Bem, isso é impossível. Só voamos de maneira metafórica, afinal, quando varremos, levantamos a poeira, tudo está no ar, está em movimento. Compreendeu? A vassoura é um dos instrumentos da bruxaria, e esse item também desmistifica a ideia de que a casa de um bruxo ou de uma bruxa é suja, empoeirada e cheia de teias de aranha.
 • A prática da maldade - Os bruxos acreditam na lei do retorno - “Toda ação gera uma reação, esteja pronto para arcar com as consequências dos seus atos, sem jamais culpar a ninguém, além de si mesmo”. - Tudo que desejamos aos outros retorna a nós três vezes mais forte. Se praticarmos o mal, a maldade nos atingirá, e o resultado será cruel! Existem bruxos que praticam a maldade? Sim, da mesma forma que algumas pessoas praticantes das mais variadas religiões também fazem e desejam o mal alheio. Todo humano tem seu lado obscuro, cabe a nós não deixá-lo aflorar a esse ponto. É uma realidade, não tem como negar, o universo surgiu em equilíbrio, há o claro e o escuro, o quente e o frio, o bom e o mau. Antes de qualquer coisa, bruxos são humanos, com as mesmas doses de qualidades e defeitos que qualquer pessoa pode ter. Pensamentos ruins nos assolam também, assim como a raiva, porém, trabalhamos o autoconhecimento e o autocontrole para nos desviarmos dessas ações extremas de praticar magia ou feitiços que provoquem o mal nos outros. Uma das nossas maiores leis é: “Faça o que lhe der vontade, contanto que não prejudique a ninguém e nem a si mesmo”. Concluindo: nem todo bruxo ou bruxa é ruim e disposto a fazer maldade, isso depende do coração de cada pessoa. Não é preciso ser bruxo para praticar o mal. Aliás, nós fugimos do mal!


Agora, vamos analisar o estereótipo roqueiro adorador de Satanás. E esse acaba sendo bem fácil de explanar.
• Roqueiro - é a pessoa que gosta de rock, que adotou esse estilo musical em suas preferências. Todo bruxo é roqueiro? Não... Alguns são pagodeiros, outros são funkeiros, alguns gostam de música romântica... Pessoal, estilo de música é um gosto pessoal e nada tem a ver com a bruxaria. Obviamente, tudo que é pesado demais passa da conta. Se uma música nos provocar dor de cabeça, é porque está estagnando nossas energias. No entanto, não significa que o rock fará isso, pode ser qualquer estilo de música. Escutamos o que gostamos e o que nos faz bem. Aliás, é bem mais fácil encontrar bruxos ouvindo uma melodia “zen”, afinal, praticamos a meditação.
• Adoradores de Satanás - Bruxaria não é religião, portanto, não tem Satanás como divindade ou qualquer coisa do tipo. Satanismo é satanismo, não confunda as coisas. Bruxos podem ou não adorar alguns deuses ou quaisquer energias cósmicas. A maioria é politeísta, e não importa o panteão. Hoje, estamos bem com os deuses celtas e druidas. Amanhã, poderemos ter as divindades gregas como nossos patronos... Ou os Deuses egípcios. Se uma pessoa quer adorar a Satanás, o problema é dela, nada temos a ver com isso. Nossas práticas não envolvem nada do que reza o satanismo.


Prosseguindo, vamos para o último estereótipo citado, o da pessoa gótica, fechada, introvertida, rabugenta e de mal com a vida.
• Gótico - O que é gótico? Definição: Gótico é o adjetivo que designa o que é proveniente, relativo, criado ou usado pelos Godos, o povo germânico
O que é estilo gótico? Definição: O estilo gótico foi uma fase da história da arte, que possuía características muito próprias com valores estéticos e filosóficos e que surgiu como resposta ao estilo românico
O que são pessoas góticas? Definição: São intelectuais e socialmente pouco aceitos na expressão de sua arte e de si mesmos, demonstrando assim seu desencanto com a sociedade moderna. Os góticos sempre foram voltados aos movimentos musicais, literários e arquitetônicos, são possuidores de um humor incompreendido, e por isso são muitas vezes difamados como depressivos (fontes de pesquisa: site Significados - sugerimos que clique no link e leia a matéria detalhada). 
Bruxos são góticos? Somos intelectuais, afinal, estudamos muito, lemos muito, pesquisamos muito e temos milhares de anotações conosco, estamos sempre questionando e buscando respostas. Somos pouco aceitos quando expressamos nossa arte - a bruxaria - e pelo simples fato de nos declararmos como bruxos. Somos incompreendidos e muito difamados. Se analisarmos por esses pontos abordados, a resposta seria sim. No entanto, analisamos o “estilo gótico” englobando gostos musicais, literários, a maneira de vestir e o estilo de vida. Portanto, depende da pessoa - no caso, do bruxo ou da bruxa.
• Pessoa fechada e introvertida - Dificilmente nos deparamos com um bruxo que não está aberto a novas experiências. Porém, bruxos se sentam, avaliam o ambiente, as pessoas ali presentes, sentem a energia do local, agem como detetives místicos, evitando energias ruins que podem lhes prejudicar e/ou pessoas que podem acabar com seu bom humor e sugar suas forças. Bruxos não são fechados, são analíticos.
• Pessoa rabugenta e de mal com a vida - Já falamos sobre as energias ruins. Rabugice pesa. Bruxos meditam, buscam o equilíbrio, acordam e determinam o bom humor ao seu dia, atraindo o que é bom, o que nos anima, que nos faz bem. Caso nos caia um peso nos ombros, corremos para fazer uma limpeza espiritual, uma purificação, um banimento... Bruxos sorriem com frequência. Bruxos praticam o alto astral.

Viram como nem tudo é o que parece ou como dizem? E é para isso que estamos aqui, para mostrar que os bruxos não são as criaturas maléficas pelos leigos estereotipadas. Nós buscamos o equilíbrio e o que nos faz bem, nos desviamos do que é ruim, praticamos o autoconhecimento, meditamos, manipulamos as boas energias em nosso favor, tentamos, a todo custo, agir de maneira correta no presente para que o futuro nos seja favorável, pois é lá que colheremos tudo o que agora plantamos. Porém, não tente irritar um bruxo ou uma bruxa, pois somos dóceis, domesticados, quando assim a situação pede, e somos ferozes quando lutamos pela justiça, mas sem nunca impor nossas crenças a ninguém... 

Que este texto tenha ajudado a desmistificar muitas das coisas que são ditas de maneira errônea. Sejam todos bem vindos ao blog Dragões da Lua Negra. Desejamos bênçãos mil aos puros de coração.








*Plágio é crime e está previsto no artigo 184 do código penal. A reprodução parcial ou total deste texto é terminantemente proibida e está protegida por lei*.

0 comentários:

Postar um comentário